Categoria: Orgânica

Síntese de dioxano partindo de etilenoglicol

derramando líquido em erlenmeyer
A síntese do dioxano (1,4-dioxano) é relativamente simples. Duas moléculas de etilenoglicol reagem em meio de ácido sulfúrico – sofrendo uma desidratação – para gerar dioxano e água.

Reagentes utilizados:
– anticongelante (que contenha etilenoglicol [C2H4(OH)2] e seja concentrado)
– ácido sulfúrico concentrado (98%)
– hidróxido de sódio (ou hidróxido de potássio)
– sódio metálico (com possíveis alternativas)

As quantidades de reagentes e detalhes do procedimento de síntese e purificação podem ser vistos no vídeo abaixo. E o NurdRage mostra também como escapar do azeótropo de água (17,9%) e dioxano (82,1%) formado durante o processo de purificação.

Com legenda em português.

Como o próprio conteúdo do vídeo já avisa. O experimento envolve reagentes perigosos e tem como resultado produtos tóxicos. Somente pessoas com conhecimento técnico e material de proteção adequados devem realizar este procedimento. Além disso o etileno glicol é venenoso e tem um sabor adocicado, qualquer descuido e o produto pode ser acidentalmente ingerido por um menor de idade.

A estocagem do dioxano deve ser realizada com cuidado para se evitar a formação de peróxidos explosivos.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Ambroxol e arsfenamina – no Instagram

Novas publicações no Instagram @ligacaoquimica
Siga em https://www.instagram.com/ligacaoquimica/

Ambroxol
amostra estrutura e informações sobre o ambroxol
O Ambroxol, que é também conhecido como mucosolvan, é um medicamento é usado para facilitar a expectoração do muco em doenças broncopulmonares e tratar de doenças respiratórias. A substância estimula a produção de surfactantes que reduzem a adesão do muco às paredes dos brônquios. O Ambroxol não parece ter efeitos colaterais graves, mas deve ser usado com cuidado por gestantes (e siga as instruções na bula).

Arsfenamina
estrutura e informações sobre o salvarsan
A arsfenamina foi sintetizada pelo cientista alemão Paul Ehrlich em 1907 e foi inicialmente batizada de Salvarsan 606 – porque era o sexto do sexto grupo de compostos sintetizados para testes. Foi um dos primeiros medicamentos realmente eficazes no tratamento da sífilis. Atualmente estes tratamentos são feitos com antibióticos, como a penicilina. Em 2005 determinou-se que o medicamento é uma mistura de espécies ciclo-As3 e ciclo-As5.

Para ver mais publicações siga em https://www.instagram.com/ligacaoquimica/

VX – um poderoso agente neurotóxico

professor segurando estrutura química
O organofosforado VX é um potente agente neurotóxico, descoberto como parte de uma pequisa para desenvolver pesticidas.
agente neurotóxico VX
O nome VX veio de ‘venomous agent X‘ ou seja, agente venenoso X.
Infelizmente a ação em humanos é tão intensa que logo atraiu atenção dos militares para ser utilizada como arma química.

Professor Rob Stockman e Professor Martyn Poliakoff explicam as propriedades químicas, ação biológica na acetilcolina e história dessa substância incrivelmente tóxica. Algo em torno de 10 miligramas já são suficientes para causar a morte de um adulto.

Martyn mostra também uma curiosa gravata, que recebeu de um fã, na qual está estampada informações sobre os efeitos das armas químicas.

Vídeo com legenda em português.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

A química dos ruivos (naturais)

multidão de pessoas ruivas
O canal ‘Reactions’ da Sociedade Americana de química explica no vídeo abaixo os motivos da existência dos ruivos.

O principal motivo é que nos ruivos possuem uma variação genética faz com que eles produzam menos eumelanina, que tem uma cor castanha ou preta e mais feomelanina, que é de uma cor avermelhada ou amarelada.

diferentes tipos de melanina

Algo curioso é que normalmente os ruivos tem uma maior sensibilidade à dor e ao frio.

Vídeo com legenda em português.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Que gosto tem o DNA?

extração de DNA de morangos
O vídeo abaixo, do canal NileRed, explica rapidamente a química do DNA e como as interações intra e intermoleculares mantém o ordenamento desta estrutura fantástica.

O isolamento do DNA foi feito a partir de morangos, por facilitar o procedimento e porque o NileRed pretende experimentar o DNA isolado – sendo então mais apropriado escolher algo comestível.

Os materiais utilizados foram:
– 10 morangos
– 180mL de água
– 200mL de álcool isopropílico (99%)
– 20mL de xampu sem perfume (ou detergente)
– 1 colher de sal

Os detalhes de como o procedimento foi realizado podem ser vistos no vídeo abaixo.

O detergente foi adicionado para ajudar a romper as membranas da célula e o sal faz o papel de facilitar a remoção das proteínas que estão associadas ao DNA.

A massa recuperada no final foi de 250mg.

Com legenda em português. Ative a exibição pelo vídeo do YouTube.

Então… aparentemente o DNA tem um sabor salgado, é gosmento e nojento.

Atenção: não repita este experimento com a ingestão do material no final, erros podem resultar em algum tipo de intoxicação.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Extração da cafeína de café

balão com cafeína
Já publicamos um texto/vídeo sobre a extração da cafeína de pílulas; agora é hora de extrair a cafeína diretamente do café.

molécula de cafeína

Dr Rob Stockman e Martyn Poliakoff, do canal Periodic Videos, mostram as propriedades, efeitos e como é feita a extração da cafeína em um laboratório.

Martyn lembra que a sala do café é um local importante na pesquisa científica, é lá que as discussões e ideias surgem.

Vídeo com legenda em português. Ative a legenda pelo vídeo do YouTube.

AVISO: Nunca faça uso da cafeína pura, a dosagem alta pode causar graves efeitos colaterais e até mesmo a morte.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).