Categoria: Inorgânica

Três formas de fazer cloreto de cobre

Reação entre sulfato de cobre e ácido clorídrico

O primeiro método apresentado pelo NurdRage é uma simples adição de cobre ao ácido clorídrico – com borbulhamento constante de ar na solução. O procedimento é o mais lento de todos. Para aumentar a velocidade o outro método realizado com a adição de peróxido de hidrogênio (água oxigenada 3 a 6%).

O terceiro método é o mais rápido, mas resulta na presença de sulfato no processo. O cloreto de cobre é obtido na reação entre o sulfato de cobre e o ácido clorídrico.

Para mais detalhes sobre as quantidades, concentrações e procedimentos assista o vídeo abaixo.

Vídeo COM legendas em português. Ative a exibição da legenda pelo YouTube.

Este tipo de experimento somente deve ser realizado por pessoas com conhecimento das técnicas e dos procedimentos de segurança necessários. Não faça isto em casa.

Solução sensível ao ar – Veja como fazer

frasco contendo solução esverdeada
O vídeo abaixo, do canal NurdRage, mostra como fazer uma solução que muda de cor quando entra em contato com o ar (oxigênio).

Os reagentes utilizados foram:
– 200mg de cloreto de cobre
– 10mL de ácido clorídrico (>20%)
– 2g de cobre metálico

Os detalhes do procedimento podem ser vistos no vídeo abaixo.

Ao final, a solução incolor de cloreto de cobre (I) torna-se verde quando o oxigênio do ar difunde resultando na formação de cloreto de cobre (II) em solução.

Vídeo com legenda em português. Veja como ativar a exibição.

Observe que a concentração do ácido clorídrico deve ser maior do que 20%. Tenha cuidado, o ácido clorídrico é perigoso e o experimento somente deve ser feito com uso de equipamentos de proteção e por alguém que tenha conhecimentos técnicos em química.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Síntese do cloreto ferroso anidro

reação esverdeada durante o procedimento
NurdRage mostra no vídeo abaixo um procedimento para se fazer cloreto ferroso anidro, também conhecido como cloreto de ferro (II); ressaltando que o método não é para fazer cloreto de ferro (III), ou cloreto férrico.

Os reagentes utilizados foram:
– 57 gramas de ferro
– 300mL de metanol
– 200mL de ácido clorídrico (a 30%)

Os detalhes do procedimento podem ser vistos no vídeo abaixo.

O vídeo possui legendas em português. A visualização deve ser ativada.

Alerta: O procedimento somente deve ser realizado por profissionais capacitados e com uso de equipamentos de segurança. O metanol é tóxico e pode causar cegueira se ingerido. Durante a reação ocorre a produção de gás hidrogênio, que é explosivo.

Síntese do peróxido de lítio (Li2O2)

pó amarelado em filtro
No vídeo abaixo – do canal NileRed – é mostrado um procedimento de como produzir peróxido de lítio (Li2O2).

A reatividade do Li2O2 com o gás carbônico faz como que o composto seja interessante para a remoção deste composto em certos ambientes. Com o benefício da liberação de oxigênio durante a reação!

2Li2O2 + 2CO2 → 2Li2CO3 + O2

A síntese foi feita utilizando os seguintes reagentes:
– 125mL de água oxigenada a 35% (H2O2)
– 50 gramas de LiOH

Os detalhes do procedimento podem ser vistos no vídeo.

O rendimento obtido foi de 25 gramas (52%); bastante abaixo dos 83% prometidos pelo procedimento original seguido pelo NileRed. No entanto um teste realizado com o produto deu positivo para a presença de peróxidos.

Vídeo com legenda em português. Veja como ativar a exibição.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Método de obtenção do ácido nítrico fumegante

ácido nítrico fumegante reagindo com moedas de cobre

O ácido nítrico dito fumegante é uma solução aquosa com concentração acima de 86%, e a alta concentração é de interesse em processos nos quais a intensa nitração de um composto orgânico é desejada. E, dependendo do composto, a nitração pode significar alto poder explosivo.

O canal do Youtube, NileRed, mostra o procedimento para obtenção do ácido nítrico fumegante partindo de 110 gramas de nitrato de potássio (KNO3) e 60 mililitros de ácido sulfúrico concentrado.

O roteiro do procedimento pode ser visto com mais detalhes no vídeo abaixo. E o rendimento informado foi de 30 mililitros de ácido nítrico concentrado.

O produto final é testado em moedas de cobre, que reagem lentamente em ácido concentrado pelo efeito da passivação do metal. E a diluição com água apressa significativamente o processo.

No final do vídeo o NileRed derrama algumas gotas do ácido sobre luvas de borracha (nitrílica) e luvas de látex para alertar que elas não são adequadas neste caso.

Vídeo com legenda em português. Ative a legenda seguindo as instruções (clique no link para ver as instruções).

Atenção! Somente realize este experimento se você tiver conhecimento técnico, acesso a equipamentos de proteção, vidraria adequada e sistema de ventilação eficientes. Além disso a posse e manipulação de ácido nítrico nesta concentração pode gerar suspeita de uso na síntese de algum tipo de material explosivo. Verifique primeiro se o local tem autorização para a realização deste tipo de procedimento.

Texto e legendas escritor por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

NaK – Liga de sódio e potássio

fonte com nak jorrando
A mistura entre os metais sódio e potássio resulta em um líquido (NaK) que tem uma aparência semelhante ao mercúrio.

O NaK tem uma densidade bem baixa; menor do que a da água. Só que não seria uma boa ideia colocar o produto em água, já que a reação produziria hidrogênio e calor; chegando até a causar explosões.

A equipe do Periodic Videos comenta que o setor de pesquisa da Universidade de Nottingham costumava ter um equipamento de demonstração das propriedades do Nak; que foi desmontado por questões de segurança. Na época o interesse era em melhorar os sistemas de refrigeração em reatores nucleares; pois o NaK é líquido e tem uma excelente condutividade térmica.

Veja mais sobre o NaK no vídeo abaixo.

O vídeo possui legendas em português. Ative a legenda pelo botão CC que aparece no vídeo (YouTube).

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.