Tag: metais

Dióxido de carbono – reação e aquecimento global

bloco de gelo seco brilhando
Neil e Pete Licence cortam um bloco de CO2 sólido (gelo seco) para construir um recipiente para uma reação com magnésio.

A reação de queima do magnésio em um ambiente repleto de CO2 causa a formação de óxido de magnésio e carbono. Perceba que o magnésio remove o oxigênio necessário diretamente do dióxido de carbono.
2 Mg(s) + CO2 –> 2 MgO(s) + C(s)

E o Professor Martyn explica o motivo pelo qual o dióxido de carbono é responsável por parte do efeito estufa.

Mais informações e experimentos no vídeo abaixo.
Vídeo com legendas em português.

Veja a primeira parte em:
Dióxido de carbono – fases e propriedades

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

Água régia dissolve ouro

ouro suspenso dentro de ácido
Água régia é o nome dado para a mistura de ácido nítrico e ácido clorídrico concentrados.

O Professor Martyn Poliakoff explica como esta mistura de ácidos consegue dissolver ouro! E como isso foi utilizado para dissolver uma medalha do Prêmio Nobel durante a Segunda Guerra Mundial.


(o vídeo possui legendas em português)

Já que estamos falando em ouro, vale a pena conferir um vídeo sobre o ouro presente no Troféu da Copa do Mundo FIFA.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

Termita

A reação de termite é uma reação altamente exotérmica, que acontece quando um pó de metal é oxidado pelo óxido de outro metal, geralmente usado com alumínio como pó como metal necessário na mistura.

Incrivelmente sua temperatura pode atingir a marca de 2500 ºC (usando óxido de ferro III). Embora seja uma reação exotérmica, ela não começa sozinha, e precisa de uma energia de ignição, e esta normalmente não é atingida por simples métodos de aquecimento, preferindo-se métodos que empregam tochas de propano, fitas de magnésio, ou então usando outras reações químicas.

Dentre as suas aplicações no dia-a-dia, a termita é usada em processos de soldagem, principalmente de ferros de ferrovias. Já em aplicações militares, a termita encontra lugar em granadas de contenção e soldagem dos equipamentos inimigos. Devido a fato da termita ser de difícil ignição, as bombas incendiárias normalmente possuem uma composição específica, batizada de Thermate-TH3, sendo esta uma mistura de outros compostos que facilita a ignição da termita.

Devido ao elevado calor gerado na reação, a termita deve ser manuseada com muito cuidado. Não tente nenhum tipo de experimento sem uso de equipamento de proteção ou acompanhamento de alguém habilitado para esta tarefa.





Texto de Dison Franco.

Ciência dos materiais em multimídia


O website
http://www.cienciadosmateriais.org/
apresenta um belo projeto de um ´livro´ virtual sobre ciência dos materiais.
Com uma interessante divisão do material em capítulos, o sistema criado permite uma navegação que une texto, notas de rodapé, imagens e demonstrações interativas muito criativas.

O livro foi idealizado como parte de um projeto financiado pelo FINEP, e tem como foco professores do Ensino Médio, da Escola profissionalizante e estudantes universitários.

http://www.cienciadosmateriais.org

Urânio – radioatividade e decaimento

Como a maioria já deve saber,  o urânio é um elemento radioativo. Isto é, possui capacidade de sofrer fissão nuclear. Para deixar mais claro sua principal função  é preciso entender alguns conceitos como:
*Radioatividade
*Decaimento

Radioatividade
Embora o decaimento e a radioatividade sejam aspectos diferentes a radioatividade tem uma ligação com decaimento. Um átomo ou composto radioativo é aquele tem a capacidade de emissão de radiação (nome dado para emissão de energia em forma de partículas ou ondas), no caso a radioatividade é parte da radiação relacionada a núcleos instáveis.

Decaimento
Decaimentos como já citados tem relação com a radioatividade, mas qual seria a relação? A relação é que a radioatividade é a emissão de partículas que acontecem devido ao decaimento. Mas o decaimento seria o quê? É a capacidade de alguns átomos (e seus isótopos) de perderem prótons, nêutrons, elétrons e raios gama.
A perda de prótons e nêutrons é denominado decaimento (alfa), a qual o átomo perde dois nêutrons e dois prótons, o núcleo de Hélio.
A perda de elétrons é denominada decaimento (beta) no qual o átomo perde apenas elétrons.
A emissão de raios gama ocorre com a reação dos elétrons e pósitrons (elétrons de carga positiva), assim causando a emissão de energia.
Existem também variações desses decaimentos como do decaimentos alfa apenas nêutrons ou do decaimento alfa com pósitrons também.

Aplicações do Urânio
Uma das principais aplicações é na produção de energia, pois a principal característica é que quando um átomo sofre decaimento ele libera energia, mas para acelerar o decaimento, o urânio é bombardeado com nêutrons que aceleram o processo, assim essa energia pode ser aproveitado para aquecer água, que posteriormente é usada para gerar energia elétrica.

uranio foto elemento

Texto de Dison Franco

Copernício – um novo elemento

Martyn Poliakoff
Devo desculpas pelo silêncio sobre a síntese de um novo elemento na tabela periódica, provisoriamente batizado de Copernício (Copernicium), em homenagem a Nicolau Copérnico.

O elemento, inicialmente pré-batizado de unúnbio (Ununbium), foi criado artificialmente em 9 de fevereiro de 1996 por uma equipe alemã chefiada por Peter Armbruster e Sigurd Hofmann. Esta síntese foi obtida pela união de átomo de zinco-70 com um átomo de chumbo-208, obtida pela aceleração de núcleos de zinco sobre um alvo de chumbo. Entrando assim na tabela com um número atômico de 112.

Mesmo tendo ocorrida em 1996, a síntese precisou passar por um processo de reconhecimento do resultado obtido e só obteve o selo de aprovação da IUPAC em 11 de junho de 2009.

Não podemos nos apressar em mudar todas as tabelas periódicas para o novo nome do elemento, pois a confirmação do batismo só será divulgada em janeiro de 2010. Como você pode perceber, tudo é feito da maneira mais critriosa possível, para evitar desentendimentos e erros de avaliação.

Uma das melhores maneiras para se manter atualizado sobre o elemento é acompanhar a página da Wikipedia.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Copern%C3%ADcio



(em breve vídeos com legendas em português)
Gostei da camiseta com uma tabela periódica que brilha no escuro!

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.