Tag: bioquímica

VX – um poderoso agente neurotóxico

professor segurando estrutura química
O organofosforado VX é um potente agente neurotóxico, descoberto como parte de uma pequisa para desenvolver pesticidas.
agente neurotóxico VX
O nome VX veio de ‘venomous agent X‘ ou seja, agente venenoso X.
Infelizmente a ação em humanos é tão intensa que logo atraiu atenção dos militares para ser utilizada como arma química.

Professor Rob Stockman e Professor Martyn Poliakoff explicam as propriedades químicas, ação biológica na acetilcolina e história dessa substância incrivelmente tóxica. Algo em torno de 10 miligramas já são suficientes para causar a morte de um adulto.

Martyn mostra também uma curiosa gravata, que recebeu de um fã, na qual está estampada informações sobre os efeitos das armas químicas.

Vídeo com legenda em português.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

A química dos ruivos (naturais)

multidão de pessoas ruivas
O canal ‘Reactions’ da Sociedade Americana de química explica no vídeo abaixo os motivos da existência dos ruivos.

O principal motivo é que nos ruivos possuem uma variação genética faz com que eles produzam menos eumelanina, que tem uma cor castanha ou preta e mais feomelanina, que é de uma cor avermelhada ou amarelada.

diferentes tipos de melanina

Algo curioso é que normalmente os ruivos tem uma maior sensibilidade à dor e ao frio.

Vídeo com legenda em português.

Texto e legenda escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Uma nova conta no Instagram! @ligacaoquimica

Uma nova conta de Instagram sobre química está agora em atividade!

Estamos iniciando aos poucos, com calma testando modos de apresentar as informações e imagens. Servirá como um… laboratório. 🙂

Acesse a conta em
https://www.instagram.com/ligacaoquimica/

As postagens feitas até o momento foram:

Sildenafila
dados sobre o medicamento
A imagem mostra cristais da substância. Vamos começar com uma substância bem conhecida! A sildenafila ou… Viagra! As pesquisas começaram com a ideia de desenvolver um medicamento para tratamento de hipertensão e angina. O relato dos voluntários na fase de testes chamou a atenção da empresa, os homens alegavam terem fortes ereções. Logo se percebeu o potencial da sildenafila no tratamento da disfunção erétil. (via wellcome)

Nitroglicerina
química e informações sobre a nitroglicerina
A nitroglicerina (1,2,3-trinitropropano) é um poderoso explosivo que também é utilizado no tratamento de doenças cardíacas! A estabilização e baixa concentração de nitroglicerina tornam o material seguro e estável o suficiente para poder ser utilizado como medicamento. Antigamente, trabalhadores da indústria de nitroglicerina levavam o produto para casa, nas férias, para aliviar as fortes dores de cabeça causadas pela ausência da substância no organismo. (via wellcome)

Alizarina
informações e histórias da alizarina
A alizarina é muito utilizada como um corante vermelho. Tradicionalmente era extraída da raiz da planta ruiva-dos-tinteiros (ou garança). Em 1868 os químicos Carl Graebe e Carl Liebermann sintetizaram a substância usando rotas químicas partindo do antraceno. A tentativa de patentear o processo gerou sucessivas disputas com alegações que a alizarina seria idêntica à natural. (via benjah-bmm27 na Wikipedia)

Ácido cloroacético cristalizado
histórias e informações sobre o ácido cloroacético
O ácido cloroacético é muito importante na indústria química. É um composto consideravelmente tóxico, com facilidade de penetrar a pele e mucosas. Christofano relatou um caso em 1970 em que cerca de 10% da superfície do corpo foi contaminada com solução morna de ácido cloroacético. Embora a pele contaminada tenha sido imediatamente enxaguada com água por mais de 1 hora, apareceram queimaduras de primeiro grau, ansiedade, agitação e choque, seguido de morte cerca de 10 horas após o acidente. (via LabPhoto no Tumblr)


Acesse a conta em
https://www.instagram.com/ligacaoquimica/

Em tempo, temos uma outra conta no Instagram, relacionada com a tabela periódica (@tabelaperiodica).
Veja em https://www.instagram.com/tabelaperiodica/

Que gosto tem o DNA?

extração de DNA de morangos
O vídeo abaixo, do canal NileRed, explica rapidamente a química do DNA e como as interações intra e intermoleculares mantém o ordenamento desta estrutura fantástica.

O isolamento do DNA foi feito a partir de morangos, por facilitar o procedimento e porque o NileRed pretende experimentar o DNA isolado – sendo então mais apropriado escolher algo comestível.

Os materiais utilizados foram:
– 10 morangos
– 180mL de água
– 200mL de álcool isopropílico (99%)
– 20mL de xampu sem perfume (ou detergente)
– 1 colher de sal

Os detalhes de como o procedimento foi realizado podem ser vistos no vídeo abaixo.

O detergente foi adicionado para ajudar a romper as membranas da célula e o sal faz o papel de facilitar a remoção das proteínas que estão associadas ao DNA.

A massa recuperada no final foi de 250mg.

Com legenda em português. Ative a exibição pelo vídeo do YouTube.

Então… aparentemente o DNA tem um sabor salgado, é gosmento e nojento.

Atenção: não repita este experimento com a ingestão do material no final, erros podem resultar em algum tipo de intoxicação.

Legenda e texto escritos por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ).

Álcool radioativo

rótulo de bebida alcoólica
Na indústria de bebidas, em alguns países, existe a preocupação de saber se o álcool presente no produto tem a sua origem em plantas ou é proveniente de algum processo industrial que parte do petróleo.

Uma forma de testar isso é sabendo que o etanol proveniente de plantas é levemente radioativo – por causa do isótopo carbono 14 que está naturalmente presente nos seres vivos.

Então, se contém álcool com um pouco de carbono 14 em sua estrutura, é uma bebida feita a partir de plantas, e não do petróleo.

Veja mais informações no vídeo abaixo.
Vídeo com legendas em português.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

O Viagra do professor

martyn poliakoff
Quem trabalha com química conhece o Viagra de uma forma especial, pelo nome de citrato de sildenafila, ou pela nomenclatura oficial IUPAC 5-{2-etoxi-5-[(4-metilpiperazina-1-il)sulfonil]fenil}-1-metil-3-propil-1,4-dihidro-7H-pirazolo[4,3-d]pirimidin-7-ona 2-hidroxipropano-1,2,3-tricarboxilato; ou ainda pela estrutura,

O Professor Martyn recebe uma encomenda especial enviada pelo colega Peter. Um frasco contendo 17,98 gramas de citrato de sildenafila puro, o princípio ativo do Viagra.

Com cuidado, Martyn resolve não abrir o frasco e explica o motivo; é para a segurança de todos. Além disto ele comenta sobre a ocasião da descoberta do medicamento, que como vários outros, teve os seus efeitos percebidos em cobaias que se comportavam de forma inesperada quando sob efeito da sildenafila.

Entenda também o motivo das famosas pílulas serem azuis, enquanto que o princípio ativo é apenas um simples pó branco.

Veja estas e outras informações no vídeo abaixo.

Com legendas em português. Para ativar clique no play e depois no botão ‘captions’.