Categoria: Vídeos

Bismuto – quase radioativo

mãos segurando bismuto
O bismuto pode gerar ´cristais´ bem bonitos e brilhantes se for aquecido e resfriado com cuidado. Existem receitas pela internet de como realizar esta tarefa.

O bismuto é o elemento ´mais pesado´ na tabela periódica sem ser radioativo. Bem, ele emite partículas alfa, mas a emissão é tão lenta que se pode considerar que ele não é radioativo.

Com o bismuto você consegue a liga metálica chamada Metal de Wood, que funde em água fervente.

O bismuto também é utilizado em catálise, para propiciar reações mais seletivas.

O vídeo está legendado em português. Para ver a legenda ative clicando no botão no inferior direito e selecione “Ativar Legendas >> Português”.
Assista mais vídeos traduzidos em
http://www.youtube.com/view_play_list?p=BFA8BBE552D8FF65

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

Tântalo – Capacitores para celular

dedo apontanto para a amostra
O Tântalo se tornou mais importante nos últimos anos, isto porque é usado para fazer capacitores para telefones celulares. É possível construir capacitores muito pequenos e eficientes com tântalo.

O vídeo está legendado em português. Para ver a legenda ative clicando no botão no inferior direito e selecione “Ativar Legendas >> Português”.
Assista mais vídeos traduzidos em
http://www.youtube.com/view_play_list?p=BFA8BBE552D8FF65

Hidrogênio – Vídeo sobre o elemento

Continuando a série de traduções de vídeos da tabela periódica.
O vídeo está legendado. Se você não conseguir ver a legenda em português clique no botão no canto inferior direito e selecione ´Ativar legendas: Português´.

Neste a equipe explica, entre outras coisas, as diferenças existentes entre o hidrogênio e seu isótopo, o deutério.

Ps: no momento as legendas não estão ativadas para videos embutidos no site, clique na imagem acima ou visite http://www.youtube.com/watch?v=fesgl5Cs5FY

Química da origem da vida

simulação computacional de moléculas
A química tem muito a contribuir para a elucidação de processos de surgimento da vida.
Um dos aspectos importantes nesta jornada é o entendimento de mecanismos de replicação de moléculas. Um processo evolutivo tem, simplificadamente, um ´algoritmo´ que se baseia em hereditariedade – variação – seleção. No campo da hereditariedade entra a replicação e, obviamente, as reações químicas envolvidas nos processos de replicação (cópia) da sequência que representa essa hereditariedade.

Entretando, avançando na complexidade, já existem estudos que, com sucesso,  conseguem entender a dinâmica do funcionamento da membrana de uma protocélula. Em um artigo publicado em setembro na Proceedings of the National Academy of Sciences, os pesquisadores Sheref S. Mansy e
Jack W. Szostak demonstraram a termoestabilidade de um modelo de uma membrana de protocélula.

Muitos pesquisadores na área de protocélulas concordam que o sistema deve conter no mínimo três componentes: um recipiente, um modo de coletar energia e um transportador de informação como o RNA ou outro ácido nucléico. E é na estrutura do recipiente que o trabalho de Szostak encontra seu principal avanço.

Pelo vídeo é possível perceber a agregação de ácidos graxos para a formação de uma estrutura com crescente complexidade.


Thermostability of model protocell membranes

Sheref S. Mansy e Jack W. Szostak
https://dx.doi.org/10.1073/pnas.0805086105

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

Quatro leis que guiam o universo

Peter Atkins é um famoso escritor de livros sobre química, em especial sobre físico-química. No livro ´Four Laws That Drive the Universe´ Atkins promete explicar os conceitos de temperatura, energia, entropia e as leis da termodinâmica. O livro possui poucas deduções matemáticas, o que não é comum em físico-química, e pode ser uma excelente forma de agradar aqueles que preferem evitar longos detalhamentos matemáticos e partir logo para as discussões teóricas.

Aguardo uma possível tradução para o português. Anunciarei aqui no blog.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.