Categoria: Geral

Dióxido de carbono – reação e aquecimento global

bloco de gelo seco brilhando
Neil e Pete Licence cortam um bloco de CO2 sólido (gelo seco) para construir um recipiente para uma reação com magnésio.

A reação de queima do magnésio em um ambiente repleto de CO2 causa a formação de óxido de magnésio e carbono. Perceba que o magnésio remove o oxigênio necessário diretamente do dióxido de carbono.
2 Mg(s) + CO2 –> 2 MgO(s) + C(s)

E o Professor Martyn explica o motivo pelo qual o dióxido de carbono é responsável por parte do efeito estufa.

Mais informações e experimentos no vídeo abaixo.
Vídeo com legendas em português.

Veja a primeira parte em:
Dióxido de carbono – fases e propriedades

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

As Cores da Química – Calendário 2010

OBS (maio de 2018): Infelizmente o material não existe mais na internet.

calendário da química 2010
A American Chemical Society criou um belo calendário para o ano 2010, todo baseado em belas imagens e muita química.

Cada mês do ano é ilustrado com uma fotografia e acompanhado de explicações sobre a química que está relacionada com a imagem.

O mês de janeiro é ilustrado com fogos-de-artifício, e as explicações sobre a influência da química na pirotecnia.
Em fevereiro os carotenóides explicam a beleza representada na imagem de um flamingo.
Em março… veja no calendário! 🙂

http://cascolors.compexinc.com/?p=additional_options
(em inglês)

O material está disponível em http://cascolors.compexinc.com/downloads/2010Calendar-en.pdf PDF(26MB), wallpapers, protetor de tela e em flash.
_
Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle ( luisbrudna@gmail.com ) – Universidade Federal do Pampa – Bagé.

Erlenmeyer feliz

Também nunca imaginei que um erlenmeyer pudesse ser tão alegre e divertido.
artesanato para a química

Para os que não conhecem. O erlenmeyer é uma vidraria muito comum em laboratórios de química. Veja um tradicional:
vidraria de laboratório

Via Fresh Photons

Aquele brilho

radiação e brilho azul
Popular em filmes, o brilho característico um reator nuclear, ou em materiais radioativos, possui uma explicação.
Parte deste belo e hipnótico brilho pode ser explicado pelo Efeito Tcherenkov, que manifesta-se quando uma partícula carregada eletricamente passa por um meio isolante em uma velocidade superior à da luz para este meio, emitindo uma radiação eletromagnética que pode estar na faixa do visível.
É bom lembrar, que a velocidade da luz no vácuo é a máxima, e que em meios diferentes do vácuo a velocidade da luz pode ser menor. Desta forma existe a possibilidade de que uma partícula carregada eletricamente possa deslocar-se em uma velocidade superior à da luz para aquele meio.
Mais informações na Wikipedia, https://pt.wikipedia.org/wiki/Efeito_Tcherenkov.

A imagem acima foi registrada no Argonne National Laboratory, centro de pesquisas científicas do Departamento de Energia dos EUA, como parte de investigações no aperfeiçoamento de processos em reaproveitamento do material utilizado em um reator nuclear.

Em um reator nuclear o urânio perde eficiência ao longo do tempo em que é utilizado na usina, e precisa ser reposto por material novo, resultando em um indesejado resíduo radioativo. E é neste ponto de aprimoramento da recuperação e reutilização destes resíduos que trabalha a equipe de pesquisadores do Argonne National Laboratory

O canal do Argonne no YouTube deixa disponível um vídeo (em inglês) sobre as pesquisas que realizam nesta área.

Aos 3m35s do vídeo acima, eles comentam que o processo de manipulação do material radioativo é feito com proteção de um vidro que contém chumbo, que também é descrito em um vídeo sobre o chumbo (realizado pelo Periodic Videos).

Imagem sob licença Creative Commons, via Argonne National Laboratory(Flickr).

Podcast – Distillations


A Chemical Heritage Foundation (CHF), uma fundação para a promoção e preservação da história da química, realiza periodicamente um podcast (arquivo de áudio).
Com duração média de 10 minutos, o podcast semanal aborda diversos assuntos que percorrem desde antioxidantes até toxinas. Iniciado em dezembro de 2007 o programa alcança a bela marca de 97 edições.
(em inglês)
https://www.sciencehistory.org/distillations/podcast

.

Química Nova na Escola – Vol. 32 – Maio

Alguns dos artigos desta edição:
– A Perícia Criminal e a Interdisciplinaridade no Ensino de Ciências Naturais
– Nanotecnologia: Desenvolvimento de Materiais Didáticos para uma Abordagem no Ensino Fundamental
– O que é uma Gordura Trans?
– A História sob o Olhar da Química: As Especiarias e sua Importância na Alimentação Humana
– Cana de Mel, Sabor de Fel – Capitania de Pernambuco: Uma Intervenção Pedagógica com Caráter Multi e Interdisciplinar
– Educação Ambiental em uma Abordagem Interdisciplinar e Contextualizada por meio das Disciplinas Química e Estudos Regionais
– Ensino Experimental de Química: Uma Abordagem Investigativa Contextualizada
– Princípio de Le Chatelier: O Que Tem Sido Apresentado em Livros Didáticos?
– Narrativas Acerca da Prática de Ensino de Química: Um Diálogo na Formação Inicial de Professores
– Platina (série de textos sobre os elementos químicos)

Acesse o material em
http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc32_2/