Pasta de elefante

espuma saindo de uma proveta
A pasta de elefante (ou foaming goo) é um experimento realizado de formação instantânea de uma espuma. Para este efeito são utilizados peróxido de hidrogênio (água oxigenada), iodeto de potássio, sabão e corante.
A água oxigenada possui um átomo a mais de hidrogênio do que a água comum. Esse oxigênio é facilmente liberado. Essas soluções são instáveis, ocorrendo decomposição lenta à temperatura ambiente, com formação de água e oxigênio.
2 H2O2(aq) –> 2 H2O(l) + O2(g)
O iodeto de potássio, utilizado como catalisador, acelera a decomposição da água oxigenada, fazendo com que ela libere o oxigênio de forma muito rápida.
Umas gotas de detergente líquido são adicionados à água oxigenada para evidenciar a velocidade de liberação de oxigênio antes de se adicionar o catalisador.
Como há sabão na mistura, as bolhas de oxigênio acabam formando uma grande espuma, que fica colorida por causa do corante.
Um esquema da reação química pode ser escrito da seguinte forma:
H2O2 (aq) + I- (aq) –> H2O (l)+ IO- (aq)
H2O2 (aq) + IO- (aq) –> H2O (l)+ O2 (g)+ I- (l)

A reação recebe este nome provavelmente por ter uma aparência de uma creme dental gigante.

Texto escrito por Victória Kopp.

Imagem em licença Creative Commons (by-nc 2.0), via Micheal J.

Tags:

3 comentários

  1. David Botelho out 30, 2017
  2. Maria dez 6, 2017
  3. Manoela abr 4, 2018

Escreva um comentário