Ponto da ciência


O site Ponto da Ciência é uma iniciativa pioneira na organização de um portal com instruções passo-a-passo de experimentos de química, física e biologia. Tudo isso ricamente ilustrado com fotos e vídeos.
Era uma das iniciativas que estava faltando.
O interessante é que a equipe pretende tornar o processo uma atividade colaborativa. Qualquer um cadastrado pode enviar experimentos para avaliação e publicar no site.
Para isso basta seguir os passos:
– Prepare os experimentos
– Tire fotos ou faça um vídeo
– Publique.

http://www.pontociencia.org.br

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

Enganando o bafômetro – Lenda urbana


Encontrei na comunidade ´Professores(as) de Química´ no Orkut uma mensagem (enviada por Luis Pereira) que indicaria como se enganar os bafômetros. [Ps: observação importante. A mensagem circula pela internet, a comunidade no Orkut não está promovendo a desinformação. Apenas alertaram sobre o problema]
A mensagem que circula pela internet é totalmente falsa. Não existe nenhuma veracidade científica no que é proposto. Ou seja, não funciona.

A mensagem:

Meu nome é Bruno Barreto Alvez sou formado em Química pela PUC de
Campinas e vou deixar uma dica para escapar do teste do bafometro desde
que você não esteje muito bêbado e não consiga seguir as dicas abaixo:
1) No final da balada seja no bar ou em aguma festa antes de sair peça ao garçom um copo descartavel com COCAL COLA com bastante gelo.
3) Chegou na BLITZ maior comandão (pare o carro com calma afinal voce não
esta tão bebado) tome um gole bom de COCA COLA garantindo que as pedras de
gelo menores fiquem em sua boca.
5) Finalmente o Bafômetro sopre devagar e no mesmo ritimo, mesmo que você
tenha tomado um monte mas se sente legal o teste vai dar negativo ou
abaixo dos 0,02 mg/l de sangue.
Isto acontece pelo fato de o Hidrogenio liberado pelo gelo anular a maior
parte da associação do alcool no ar do seu pulmão, esta dica é velha e foi
descoberta por estudantes de Quimica Americanos que tiveram que enfrentar
o mesmo tipo de punição nos anos 70 e 80. Agora no EUA não se usa mais o
bafometro e sim o teste da faixa que ai não tem estudante, professor, PHD
que de jeito.
A COCA COLA para que serve? poxa você não vai querer ser parado com um
copo de WISKY com gelo então bota qualquer refrigerante menos agua pois demora mais para retirar o Hidrogenio do gelo.
Ps: Em Campinas ja passamos por 03 blitz usando este método, e lembrando
que esta dica não adianta no caso de amostra de sangue.

Provavelmente este suposto formado em química é um personagem inventado.
O programa ´Mythbusters – Caçadores de Mitos” demonstrou, no episódio 6 da primeira temporada, que não existe nenhum método caseiro para se enganar o bafômetro.
Perceba também que a lenda comenta em ´hidrogênio liberado pelo gêlo´. Não existe tal liberação de hidrogênio.

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

Metaboloma

titulo da matéria original
Entre os diversos ´omas´ que já existem – genoma, proteoma, transcriptoma – surge o metaboloma, que pode ser definido como, uma avaliação global ou parcial dos metabólitos de um ser vivo.
O assunto é abordado em um interessante texto na Scientific American Brasil de agosto de 2008. Jeremy Nicholson, chefe do departamento de medicina biomolecular da Imperial College de Londres, estuda como o corpo e sua flora intestinal produzem substâncias químicas, que podem fornecer informações sobre a saúde do organismo.
No futuro, eliminar doenças pode significar uma tática um pouco diferente, com um tratamento dessas bactérias.

Versão em inglês ´Jeremy Nicholson’s Gut Instincts: Researching Intestinal Bacteria´

Leia também
Você é uma bactéria ambulante

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

Mesa com tabela periódica

Uma idéia criativa.

mesa de jardim

O banco é composto pelo grupo dos lantanídeos e actinídeos.
Boa idéia para uma mesa de café em um instituto de química.

Um dia sem química

Estudantes tentaram viver um dia sem usar nada que tivesse algo relacionado com a química, e perceberam que a tarefa é praticamente impossível.
Eles descobriram que coisas essenciais para a vida atual – e algumas não tão essenciais – contém produtos químicos.
A lista inclui coisas realmente essencias, como a água tratada, comida, vestuário e medicamentos. E alguns ítens não tão imprescindíveis como o televisor, jornais e revistas.
As estudantes do ´Harrogate Ladies’ College´ participaram de um desafio chamado Vida sem química: O desafio de um dia (Life Without Chemicals: A One Day Challenge) que foi organizado pelo grupo Yorkshire Chemical Focus.
Participaram 150 garotas e o desafio era acumular pontos para cada ítem que usavam e que continha algum produto químico, e também descrever em 30 palavras (ou menos) o que aprenderam com o desafio.
Fonte: My Chemical Romance – a short course for students

Via chemistryworldblog

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.

Tabela periódica em parede falsa

apenas ilustrativa
Nos EUA uma antiga tabela periódica foi descoberta atrás de uma parede falsa.
O Dr. Arthur Greenberg, professor de química na University of New Hampshire, ficou com a interessante tarefa de tentar descobrir de qual época era a tabela periódica.
Após alguma investigação ficou claro que a tabela deveria ser de uma época entre 1931 e 1940. Essa identificação foi possível pela presença dos elementos químicos “virginium” e “alabamine“, que foram descritos em 1931 e depois tiveram seu nomes modificados para Frâncio e Astato, respectivamente, em 1940.
O pedido do nome Alabamine foi feito pelo Alabama Polytechnic Institute, alegando o pioneirismo na descoberta do elemento. [ Evidence of the Detection of Element 85 in Certain Substances – Phys. Rev. 37, 1178 – 1180 (1931) – DOI: 10.1103/PhysRev.37.1178 ]

http://www.fosters.com/apps/pbcs.dll/article?AID=/20080715/GJNEWS_01/120037288/-1/FOSNEWS

Veja mais sobre a história do Alabamine e Virginium neste texto da revista Time (fevereiro de 1932).

Texto escrito por Prof. Dr. Luís Roberto Brudna Holzle.